quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Mãe Dinah

Faltam pouco menos de quatro anos, mais de 1400 dias para os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro.

Mas dá para ter uma pequena noção de como o Brasil vai no quadro de medalhas. Pequena, mas dá para imaginar.

Primeiro de tudo, quando você joga em casa as coisas mudam. Com certeza aquele juíz da luta do Esquiva Falcão não puniria o brasileiro e ele seria campeão olímpico caso os Jogos fossem no Brasil.

E não seria um roubo. É diferente. Os dois "mereciam" a vitória e, num esporte subjetivo com está o boxe atual, você dá a vitória para quem você quiser. No Brasil, ele não perderia a luta.

Quando joga em casa, tudo muda.

Imagino o Brasil entre 25 e 30 medalhas. Na  verdade, 27.

Pela geração que está por vir no atletismo, imagino três medalhas.

Na natação, nenhum novo nome deve surgir para brigar pela medalha no Rio.Mas Cielo, Thiago e Bruno Fratus tem tudo para manter-se entre os melhores do mundo. Imagino três medalhas.

O judô feminino está com uma equipe adulta jovem e muito boa e algumas boas atletas vindo. Penso em quatro medalhas somente no feminino. O masculino tem ótimos nomes no adulto, mas poucos surgindo. Chuto duas medalhas e um total de seis para o judô.

No vôlei, dá para pensar novamente em quatro medalhas. O time feminino poderá manter a base de Londres. O masculino está com uma renovação encaminhada. Na praia, o Brasil é sempre forte e é "fácil" prever uma medalha no masculino e outra no feminino.

O futebol masculino deve brigar pelo ouro. Aliás, acho que agora vai o tão sonhado título olímpico. O feminino está mal, tanto no adulto como na base, acho que não chega para medalha.

A vela é um esporte difícil de se prever, principalmente por todas essas mudanças de classes. Com a péssima fase, penso em uma medalha apenas.

Seriam 18 medalhas nos "esportes de sempre". Aqueles que o Brasil costuma subir no pódio em praticamente todos os Jogos Olímpicos.

Outras nove viriam de algumas novidades:

O boxe, que depois de Londres não é tão novidade assim para os brasileiros, vai continuar brilhando. Com um possível aumento no número de categorias no feminino, acho que o Brasil leva quatro medalhas.

O Handebol feminino e o basquete masculino estão com um time muito bom atualmente mas que talvez chegue ao Rio um pouco envelhecido. Com algumas peças mais novas, serão times muito competitivos. Aposto em pelo menos uma medalha entre esses dois times. Ou um ou outro.

A ginástica artística masculina terá uma equipe muito forte. A feminina nem tanto, já que está com pouca renovação. Imagino duas medalhas para ginástica masculina.

A canoagem está com atletas de base muito bons. O ciclismo MTB tem nomes jovens que podem surpreender. No levantamento de peso, podemos ter alguma surpresa,assim como na luta feminina. Dentre esses quatro esportes, acho que vem uma medalha para o Brasil. Um desses quatro será a novidade brasileira no pódio no Rio.

A tal 27ª medalha viria de uma modalidade que trouxe recentemente medalha para o Brasil. Ou o hipismo, ou o taekwondo ou o pentatlo moderno. Qualquer um dos três, a medalha viria com um atleta ""consagrado", seja Natalia ou Diogo do taekwondo, Rodrigo ou Doda do hipismo ou Yane no pentatlo. Não vejo um nome JÁ PARA 2016, nessas modalidades.

Badminton, esgrima, hóquei na grama, nado sincronizado, remo, saltos ornamentais, tênis, tênis de mesa, tiro, tiro com arco e triatlo são modalidades que tem tudo para conquistarem os melhores resultados da história recente, mas, analisando friamente, dificilmente terão atletas brigando pelo pódio no Rio.
Vão brigar por bons lugares, mas pelo pódio muito complicado.

O esporte é maravilhoso pelas inúmeras mudanças, pelo imponderável, por favoritos perderem e surpresas vencerem.

Mas é isso que eu acho que vai ser a Olimpíada de 2016.

27 medalhas. 9 ouro, 9 pratas e 9 bronzes e a 10ª posição no quadro de medalhas.

Me cobrem no dia 21 de agosto de 2016, quando os Jogos do Rio acabarem.

Siga o blog no twitter: @brasilnorio

19 comentários:

  1. A posição de 10º colocado você está contando pelo número de medalhas ou pelo ouro?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Por ouro.

      Acho injusto o critério por ouro, mas esse é, infelizmente, o mais usado.

      Abraços!

      Excluir
  2. O "brasilemlondres2012" quase gabaritou. Mandou 4-4-9=17 e vieram 3-5-8=17. Sensacional!

    Mas, desta vez... Seis medalhas no judô, quatro só no feminino? Sei não! E três no atletismo? Acho esta a maior furada. Se vier uma, vai ser muito.

    De qualquer maneira, muito legal já começar estas projeçoes. Ano que vem esperaremos o "Se as Olimpíadas fossem em 2013...", para já termos um termômetro de a quantas andamos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Bruno!

      Como falei num post há alguns dias, a geração do atletismo é boa. Muito boa. Não sei se alguém de 2012 fica forte para 2016, mas é muita gente surgindo.

      O judô é forte, bem forte. Ainda mais jogando em casa...No mundial de 2007, em casa, foram 4 medalhas, todas no masculino...Então acho que dá para vir 4 no feminino na Olimpíada.

      Sempre bom ter sua visita aqui e obrigado pelos elogios!

      Abraços!!

      Excluir
    2. Bacana Guilherme... Tomara mesmo que a geração que foi bem no último Mundial Júnior de Atletismo matenha uma boa trajetória e traga medalha em 2016. Só fica o medo de acontecer algo parecido com o ocorrido com a Bárbara Leoncio.


      Abraço,
      Até

      Excluir
  3. E a Ana Marcela Cunha, né, será que não desencanta em casa?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EU lembre dela, mas não sei. Torço, ela vai estar no bolo da briga.
      Pode entrar nessas três da natação aí!!

      Ela é um bom nome, bom nome!

      Excluir
  4. Guilherme, parece-me que o Brasil tem vocação para lutas, como anda a evolução da equipe na luta greco-romana?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A evolução da luta masculina está boa, mas sem muitas chances de chegar bem em 2016.
      A luta feminina é a grande arma da modalidade para a Olimpíada do Rio.E deve pintar uma boa surpresa......

      Excluir
    2. Isso Guilherme...Além da Joyce Silva, a boa surpresa na luta responderá pelo nome de Laís Nunes. Aguardemos.

      Excluir
  5. Grande Gui!!
    Já ta salva sua previsão. Pode ter certeza que vou cobrar...
    Tenho acompanhado todos os seus posts dessa vez. Grande abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa Zé!! Será sempre muito bem vindo!!

      Abraços!!

      Excluir
  6. Com certeza o Brasil superará as 17 de Londres, mas acho que 27 um pouco demais, principalmente 9 ouros. Hoje chutaria 22 medalhas, sendo 6 de ouro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Marcelo, quando um país joga em casa tudo muda, tudo fica a ser favor. TUDO.

      Desde o vento da vela, em que os brasileiros vão conhecer como nenhum outro país. O circuito do triatlo e do ciclismo...
      Algumas provas vão ser transformadas em olímpicas
      Ninguém vai se quebrar para se classificar porque já estarão classificados
      Na dúvida, sempre pró Brasil
      A torcida ganhará alguns jogos
      As chaves, na teoria, serão mais fáceis

      Tudo muda quando você joga em casa

      O judô da Grã Bretanha é horrível e eles levaram duas medalhas em Londres....É um bom exemplo!

      Mas, vamos ver

      Abraços!!

      Excluir
  7. PALPITÃO --> 23 Medalhas
    6 Ouros

    ResponderExcluir
  8. Bruno Botafoguense30 de agosto de 2012 07:57

    Po guilherme, será que na natação não surge nenhum nome novo não?Arthur mendes JR, Alessandra marchioro, Matheus santana(botafogo), é muita gente surgindo e vários desses atletas terão entre 20 e 22 anos!
    Ah e o tiago pereira precisa de disputar os 400 medley, com pelphs e lotche(cogitando ficar fora), não pode perder a chance de brigar por esse ouro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Bruno.

      Na minha opinião, a geração para 2020 da natação é muito boa. Para 2016, brigar por medalha é um pouco difícil ter um novo nome.
      Torço muito para que tenha alguem, mas acho que não terá não

      Mas, vamos ver

      Abraços!!

      Excluir
    2. Bruno Botafoguense30 de agosto de 2012 10:51

      só não entendi uma coisa, vc considera esses nomes que eu citei para 2020, ou são outros nomes? se for cite algum...Mantenho esperança que 1 dos 3 conquiste medalha em 2016!

      Abraço

      Excluir
    3. É uma nova geração chegando. Quem nasceu em 97, 98...São muito bons e vão ter uns 22 anos em 2020!
      E, claro, vou torcer para que alguem desses que você citou brilhe em 2016..Mas acho que a Alessandra, infelizmente, estagnou(torço para estar errado)..O Arthur é muito bom,mas tem que começar a brigar por seleções adultas....
      Tem nomes bons para 2016, mas acho que não para medalhas...

      Excluir